Return to site

Fleury acusa ex-funcionária de fraude e pede reparação de

R$ 2 milhões na Justiça

· Clipping
Karla Gamba | JOTA

Segundo auditoria, empresa de tecnologia do marido da ex-funcionária recebeu valores, mas não prestou serviços

 

O Fleury S.A. ingressou com uma ação indenizatória visando reparação de danos por uma alegada fraude milionária causada por uma ex-funcionária que trabalhou na empresa por mais de trinta anos. A mulher, que ocupava o cargo de gerente sênior em um projeto educacional da empresa, teria desviado, segundo uma auditoria interna do Fleury, um total de R$ 2.244.882,95 divididos em 213 pagamentos.

 

Os pagamentos foram realizados entre novembro de 2006 e março de 2018 para uma empresa de informática de propriedade do marido da funcionária. No entanto, uma apuração interna mostrou que a empresa em questão não tinha celebrado qualquer contrato de prestação de serviço com o Fleury. A auditoria interna também concluiu que não houve sequer prestação efetiva de serviços e que outros funcionários não conheciam a prestadora.

 

A administradora trabalhou no Fleury entre os anos de 1986 até abril de 2018. Após a demissão, ela mesma passou a tratar com ex-subordinadas sobre os pagamentos e emissão de notas fiscais relacionadas à empresa, fato que causou estranheza ao ex-empregador.

 

No curso da auditoria interna foram recuperados e-mails trocados entre a ex-funcionária e o marido, por meio da conta corporativa, utilizados pela defesa do Fleury como provas. Em um deles, ela afirma: “Quero muitosssssssssssss contratos da [empresa de tecnologia] para eu me aposentar. Não aguento mais!!!”.

 

O laboratório, representado pelos advogados Fabio Teixeira Ozi e Jéssica Tolotti Canhisares, do escritório Mattos Filho, pede a condenação da ex-funcionária e do marido ao ressarcimento do valor total que teria sido pago à empresa de informática, com juros e correção monetária, bem como o pagamento das custas processuais.

 

A defesa da ex-funcionária, feita pelo advogado Cesar Linhares Wallback, do escritório Fernandes Resende & Wallback, nega que ela tenha cometido fraude e alega, como questão preliminar, que os supostos fatos do processo decorrem de relação de trabalho e, por isso, tenta levar o caso para a Justiça Trabalhista. Segundo ela, o objetivo da empresa é reprimir a busca por direitos laborais que foram negados quando o contrato de trabalho foi rescindido.

A administradora apresentou imagens de trocas de e-mails com o intuito de mostrar que, ao contrário do que é alegado pelo laboratório, funcionários de outros setores tinham conhecimento da relação do Fleury com a empresa do marido e autorizaram pedidos de pagamentos.

 

Procurado, o Fleury afirmou que não se manifesta sobre ações judiciais em trâmite. A ação corre na 14ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo com o número 1094603-78.2019.8.26.0100.

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OK

 
IR Member
 
 

Telefone: 55 11 3074 2222

e-mail: contato@ferraznet.com.br

Endereço: Rua Joaquim Floriano, 397 - 7º e 8º andar - 04534 011 - São Paulo - SP

© 2018 - Ferraz de Camargo Advogados